Eu, ansiosa que sou, já saí daqui do Brasil com todos os passeios que eu queria fazer no Atacama bem listadinhos, com valores cotados de uma agência que vi no Um Viajante e com nomes de várias outras agências que me indicaram ou que encontrei relatos em blogs. Como chegamos a noite em San Pedro, fomos no dia seguinte logo cedo pra trocar o dinheiro e de lá já fomos atrás da agência pra pagar todos os passeios e não ficar carregando tanta grana na doleira (porque, né?). Em San Pedro é assim: a cada 10 lojinhas, 5 são agências. O fato de eu já ter saído daqui com algumas referências ajudou bastante, ou ficaríamos eternamente indecisos em meio à tantas opções.

A primeira agência que passamos foi a Grado10, que é uma das mais famosas, tem ótimas referências pela internet e falam ser uma das mais caras. O diferencial dela é um caminhão-ônibus que é SUPER confortável pra fazer os passeios, além dele ter dois andares. Lá em cima é aberto pra ter uma vista maravilhosa dos lugares, tirar fotos e enfim. Queria muito fechar com eles, MAS o caminhão estava em manutenção e a vendedora que nos atendeu falou que não sabia se ele ficaria pronto no dia seguinte (que era um sábado) ou só na segunda. Ou seja, fuen. Além do caminhão, eles também têm vans pros passeios, mas como nelas o número de pessoas é reduzido, pra quase todos os dias que iríamos ficar já estavam lotadas. Pegamos um folheto com os valores deles pra ter mais uma referência, já que queríamos encontrar um preço bom, mas não absurdamente barato (que já rola uma desconfiança, né?).

A segunda agência que passamos foi a Ayllu, a que eu peguei indicação no blog Um Viajante. Dela eu já tinha todos os valores listados e etc. Coincidentemente, o brasileiro que nos atendeu no restaurante que jantamos na noite anterior também trabalhava nessa agência durante o dia, mas quem nos atendeu foi outra pessoa. Falamos os dias que ficaríamos na cidade e os passeios que tínhamos interesse, ela montou um roteiro com base nisso e nos passou o valor total, que ficou só um pouco mais caro do que eu tinha cotado. Estávamos quase fechando, mas preferi ir atrás da última agência que eu tinha o nome, a Colque Tours, que foi a Jacque do blog Cansei de Lavanda que me indicou.


No caminho até encontrar essa a agência eu peguei os valores da Grado10 pra comparar com os da Ayllu, e cara, a Ayllu era absurdamente mais cara! Alguns passeios eram quase o dobro do preço e achei muito estranho isso, já que é a Grado10 que falam ser a mais cara, mais conhecida e melhor. Enfim, chegamos na Colque Tours, e fomos orçar. A vendedora foi super simpática (assim como em todas as outras agências que passamos), nos mostrou no mapa aonde ficava cada passeio, as altitudes, os horários de saída e etc. No final, quando pegamos o valor fechado - todos os passeios que queríamos ficavam cerca de 100 mil pesos mais em conta do que na Ayllu - que é aonde eu pretendia fechar antes de sair do Brasil. Levando em conta o que a Jacque me contou e comparando com o valor da Grado10 (que era só um pouco mais caro), não tivemos dúvidas e fechamos tudo com eles. Inclusive o passeio até o Salar de Uyuni, na Bolívia.

Vou falar sobre como foi cada passeio nos posts futuros, mas já posso adiantar que valeu muito a pena fechar com a Colque, e demos MUITA MUITA MUITA sorte! Tanto no Atacama quanto na Bolívia (que é aonde eu mais tinha medo de dar alguma merda). É claro que aconteceram algumas coisinhas pequenas, mas nada que prejudicasse a experiencia em algum dos passeios. Além da sorte de só termos pegos ótimos guias e economizado BEM. Sabe gente que ama o que faz? E que ama o lugar? Então, foi assim. Além disso sobre pesquisar bem e pegar referências, uma dica muito válida é fechar todos os passeios em uma única agência e pagar em dinheiro, assim sempre rolam bons descontos! Vou falar mais sobre a Colque quando chegar na parte de Uyuni, agora vou falar sobre como foi o passeio astronômico, que já adianto também: LINDO.

O TOUR DE LAS ESTRELLAS
Nesse mesmo dia que fechamos com a agência já conseguimos marcar esse tour (já que o céu estava bom e depende disso pra ele acontecer). A van sairia da agência as 21h00, então chegamos por lá as 20h40 e ficamos esperando. Pra nossa surpresa esse tour era em conjunto com outra agência (pois é). Uma coisa muito comum no Atacama (que descobrimos só depois) são agências se "unirem" pra alguns tours. Esse astronômico é oferecido todos os dias em todas as agências, então é óbvio que nem todas conseguem lotar os micro-ônibus todas as noites, é por isso que elas se juntam pra não saírem no preju. Nós fomos bem agasalhados, porque a agente (?) vendedora (?) enfim, nos avisou que ventaria bastante por lá e que a temperatura cairia bem. E assim foi.

O ônibus demorou cerca de meia hora pra chegar no local, que é uma escuridão só. A gente teve que usar a lanterninha pra conseguir andar. O espaço era aberto mas não absurdamente grande como eu esperava (como se fosse o quintal de uma casa) e BEM no alto. Lá tinham algumas cadeiras e dois telescópios bem grandões. Nós sentamos (na escuridão e no meio do nada), eles nos serviram vinho e começaram a falar sobre o tour. Nos dividimos em dois grupos, um para o tour em espanhol e outro para o tour em inglês, e cada guia começou a falar sobre os planetas, estrelas, sistema solar, e enfim. Essa primeira parte é basicamente uma aula de astronomia e é super legal! O ruim é ficar lá fora e no frio enquanto o guia fala - acho que demorou uns 30 minutos e estava cerca de 8 graus ali.

Na segunda parte ele começa a apontar no céu as estrelas mais famosas e falar sobre elas. Essa parte é a olho nu, já que o céu é BEM limpo e lindo. Nessa hora eu já comecei a pensar como putaquepariu eu faria pra conseguir uma foto legal daquele céu maravilhoso e peguei minha câmera. Na terceira parte do tour ele posiciona os telescópios para olharmos os planetas <3. A Paloma, uma chilena que foi com a gente pro tour da Bolívia, disse que deu a sorte de ver uma estrela cadente no dia do tour astronômico dela, IMAGINA QUE COISA LINDA!

Essas 4 fotos FAILs é só pra ilustrar o desespero de uma pessoa sem tripé tentando fotografar estrelas. Pois é, ele NÃO COUBE NA MOCHILA, e como eu já estava bem apertada ($$$) acabei não comprando um pequeno pra levar. Então, eu configurei a câmera (leia-se: deixar fotografando por muito tempo - cerca de 25 segundo com o obturador aberto, colocar na menor distância focal possível - que no meu caso foi 18mm, aumentar o iso, colocar o disparador pra fotografar após 2 segundos que você apertar, colocar o foco no manual e ORAR), coloquei ela em cima da mesa que estava o notebook dos guias e tentei, tentei muito.

A primeira foto saiu aquela maravilha ali toda desfocada. Na segunda eu girei um pouquinho o foco pra tentar melhorar (porque não tem como olhar pra cima e focar, gente! É foda!), mas alguém passou com a lanterna ligada enquanto a câmera estava fotografando e ela ficou com aqueles efeitos sobrenaturais. Na terceira, eu tirei ela de cima da mesa porque tinha muita gente passando com a lanterna ligada ali perto, peguei uma cadeira, coloquei ela no meio do nada com a câmera em cima e tentei - saiu tudo mais desfocado ainda. A quarta foi depois de mil tentativas, fui girando um pouquinho o foco e colocando pra fotografar, até que essa saiu focada, mas bem na hora o guia estava mostrando uma estrela na direção da minha foto, aí saiu com esse verde! HAHA

Já tava quase sentando e chorando, porque, né? Mas não desisti por questões de honra. Esperei um pouco, fui comer (eles servem uma salsicha que na verdade não é salsicha, com pão), tomei mais umas taças de vinho, respirei, mais uma(s) tentativa(s) E CONSEGUI MINHA FOTO. Lhes apresento o céu do Atacama, esse maravilhoso:


Foi uma saga de quase uma hora pra conseguir tirar essa foto que não ficou 100% perfeita e focada, mas ficou maravilhosa pra mim. Fiquei super feliz, guardei a câmera e fui curtir o restante do tour, comer, beber mais vinho, conversar com as pessoas (conhecemos mais brasileiros, brasileiros everywhere) e enfim. Foi ótimo. Depois desse dia quando falamos com outras pessoas sobre ele, percebemos que esse tour não é feito no mesmo lugar por todas as agências. Em outras é algo mais "profissa" com aquele espaço que parece uma cúpula e abre pro telescópio aumentar e tals. Não que o nosso tenha sido ruim, o céu é maravilhoso em qualquer lugar, mas o espaço que estávamos parecia uma casa normal (tinha até um gatinho lá que pulou no colo do meu amigo), e tinham algumas residências por ali (eu imaginava um lugar mais amplo, não sei). Então, pra quem for pro Atacama talvez seja legal dar uma olhada melhor nas opções pra esse tour em específico e ver os diferenciais de cada agência. BTW, essa foi nossa segunda noite no Atacama e foi linda. Chegamos no hostel quase meia noite e fomos dormir com todas essas estrelas na cabeça, melhor coisa, haha. 

-

Post imenso (acho que todos serão assim, haha!) mas espero que tenham gostado :) pra conferir os outros posts da viagem só ir na tag desertos.

DAS NEWS: compartilhei lá na página do faces o resultado do sorteio. A ganhadora do ensaio fotográfico foi a Celle, e a ganhadora do livro + copo foi a Natália. Obrigada todo mundo que participou! // Resolvi mudar o sistema de comentários aqui do blog pra ver qualéqueé, queria algum que notificasse as respostas e estava na dúvida entre o disqus e o intensedebate, acabei optando pelo segundo por gostar mais da interface. Qualquer tretinha com ele me avisem, ok? :)

BEIJOS!

Contact

@KARINEBRTT