do chile para a bolívia em um 4x4

19.1.16

E finalmente tinha chego o dia mais esperado (e o mais temido), quinta-feira, o dia de atravessar a fronteira do Chile e seguir para o Salar de Uyuni, na Bolívia. Depois de uma noite mal dormida por causa das emoções do terremoto no dia anterior, estávamos em pé às 7 horas, com as malas arrumadas, café tomado, esperando o carro que iria nos buscar. Deixamos algumas coisas que não iriamos usar lá no hostel, o Esteban (chico querido de lá) liberou os lockers pra gente nesses dias que estaríamos fora - e além disso, as áreas sociais, chuveiros, tomadas e cozinha estariam livre pra gente quando voltássemos (mesmo sem pagar a diária) - já que voltaríamos para o Atacama no domingo a tarde, e a noite o transfer iria nos buscar no hostel para nos levar até o aeroporto de Calama <3

Às 7:05 apareceu o chileno para nos pegar, eu já pensei que sairíamos de lá naqueles carros enormes, mas ele foi nos buscar em uma pick up super pequena, já com uma chilena no banco da frente e eu pensei: WTF?! Ele não era de falar muito, então também já pensei: "pronto, pegamos o pior motorista e o pior carro de todos, me ajuda deeeeus!" (aloka desesperada e ansiosa since 1990). Nós não sabíamos que nesse passeio o café da manhã (ainda no Chile) estava incluso, então paramos naquele mesmo hotel com o café maravilhoso que tomamos nos outros passeios - e lá encontramos uma galera que havíamos conhecido nos outros passeios que fizemos, aproveitamos para nos despedir, falar sobre o terremoto, eles nos desejaram boa sorte pra seguir pra Bolívia e etc.

Já falei nesse post aqui sobre as histórias terríveis que li na internet sobre essa travessia pra Bolívia. eu estava morrendo de medo de dar azar com o motorista, com o carro, com as comidas, ou com tudo (meu jeitinho, sempre esperando o pior, hahaha). Pra piorar, lá nós conhecemos vários brasileiros que tinham passado pelo Salar antes de chegar no Chile (três grupos diferentes) e todos falaram sobre o quanto é maravilhoso, mas sobre o quanto foi complicado e cheio de perrengues. Entre as histórias que ouvimos por lá, falaram sobre: motorista bêbado que ameaçou largar a galera no meio do nada, carro quebrado e horas perdidas esperando socorro, comida com sujeira (!!!) e enfim. Como não iria me assustar, né?

O que posso adiantar é que: nós - eu, o Diogo, a chilena e as duas espanholas - demos a maior sorte do universo e não tivemos problema ALGUM em toda a viagem! Muito pelo contrário, nós estávamos preparados (de todas as formas possíveis) para o pior, e foi tão tão tão melhor que mal deu pra acreditar! Pegamos um guia maravilhoso, um carro super confortável, comemos super bem todos os dias, ficamos obviamente muito cansados pelos 4 dias de viagem dentro de um carro - mas nada além do normal, Dormimos bem e confortavelmente, apesar de toda simplicidade dos lugares que passamos e enfim. Só amor <3

Passamos pela imigração do Chile, carimbamos a nossa saída e seguimos. A fronteira entre Chile/Bolívia fica à 30 min de San Pedro, quando chegamos lá já sentimos o frio que nos esperava, estava -6 graus e uma ventania absurda (lá a altitude já é bem maior)! O chileno que nos levou disse que poderíamos ficar dentro do carro preenchendo alguns papeis da imigração boliviana enquanto esperávamos o nosso carro chegar (e eu já pensei: vamos trocar de carro ~ eba! hahaha)

Depois ele pegou os papeis e os passaportes, entrou no posto da imigração e voltou com os papeis carimbados e nossos documentos. Esse papel que nos entregam na imigração não podemos perder de jeito nenhum, caso aconteça pagamos uma ~multa de 300 bolivianos (tá anotado isso no papel, e já havia lido sobre isso na internet). Porém, na volta tivemos uma surpresinha com a imigração boliviana tentando cobrar propina pra gente voltar para o Chile, mesmo apresentando esse papel (e acabei com a graça deles - mesmo morrendo de medo de dar merda -  aguardem os próximos posts, hahaha). 

Aí finalmente nosso carro chegou. Colocaram nossas mochilas lá, os dois galões com 5l de água (um meu, outro do Di), os pães e bolachas que estávamos levando (disse que nos preparamos para o pior, né? hahaha) e etc. Quando o motorista veio falar com a gente, gostei dele logo de cara. Super simpático, já chegou perguntando se estávamos com frio e avisando que poderíamos entrar dentro do carro que ele iria ligar o ar quente. Quando falou o nome dele, a sorte: era o Mário! O Mário foi o motorista que a Jacque do Cansei de Lavanda me falou. Ela fez essa viagem com ele (um ano e meio antes de mim), me deu indicações maravilhosas sobre o quanto ele era atencioso, gente boa e como fez toda a diferença pra viagem ser incrível. Fechei com a Colques esperando ter a sorte de pegar um motorista tipo o Mário, mas nunca pensei que iríamos com ele! A partir desse momento foi como se tivessem tirado um caminhão de preocupações das minhas costas, poderíamos ter alguns problemas pelo caminho, mas eu já sabia que nosso guia era incrível <3. Inclusive: saudades, chico!

Depois descobrimos que essa troca de carros acontece porque chilenos (e carros com placas do Chile) não podem trabalhar/circular na Bolívia! Inclusive, nessa viagem descobri que os dois países tem problemas por causa de território e rolam algumas situações bem chatas (mas falo sobre isso mais pra frente). Então, o que rola é o seguinte: você está no Atacama e fecha um passeio para o Salar, se a sua agência não tem uma sede na Bolívia também, eles te "entregam" pra outra empresa de lá. Isso não rolou com a gente porque a Colques tem agência nos dois países, então fomos e voltamos com eles (mesmo que em carros diferentes em cada país)

Como esse post já ficou enorme (e nem comecei a falar sobre os lugares que passamos no primeiro dia), vou colocar só algumas fotos aleatórias dos lugares que passamos nesses 4 dias maravilhosos e mais incríveis da minha vida, elas já apareceram lá no meu instagram: @karinebrtt e são pra dar um gostinho do que vai aparecer por aqui daqui pra frente. 

KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
KARINE BRITTO FOTOGRAFIA | instagram.com/karinebrtt
Pra conferir os antigos sobre a viagem só ver a tag desertos :)
BEIJOS
© coffee & flowers POR KARINE BRITTO