nascer do sol no salar de uyuni & a isla incahuasi

26.9.16

Cara, como é difícil terminar esses posts! Agora em Setembro já completou um ano dessa viagem, UM ANO! E também um ano que fiz meu primeiro post aqui no blog sobre essa aventura. Hoje abri o LR, querendo e não querendo editar mais algumas fotos pra depois postar aqui, na hora tava tocando Babel e acabei entrando no clima de nostalgia-barra-saudades-barra-inspiração pra escrever. Então, vamos lá. 

Esse não será o último post da trip, porque fizemos MUITAS coisas nesse dia (além de ainda ter algumas historinhas sobre o último dia, na volta para o Atacama), mas esse é um dos momentos mais especiais. Depois de passar um dia vendo lagunas maravilhosas, um dia em um deserto que mais parecia uma pintura, ver muitos flamingos e conhecer a cidade de Uyuni, finalmente ele tinha chegado: o dia de conhecer o maior deserto de sal do mundo. O Mário combinou de nos pegar no hotel às 5 da manhã, já que a ideia era de ver o sol nascendo por lá. Acordamos às 4h30 depois de uma ótima noite de sono (dormi igual pedra pelo cansaço), tomamos café e ficamos esperando (sem as mochilas, porque depois voltaríamos pra lá). Eram 5h30 e NADA do Mário aparecer... 5h45 ele chegou já pedindo mil desculpas por ter perdido a hora, mas disse que o caminho seria rápido até lá e como ainda estava escuro, veríamos o sol nascer apesar do atraso. Todo mundo ficou meio tenso nessa hora, porque no caminho víamos o dia clareando e nada de chegar, pensei mil vezes: não acredito que depois de tudo isso não vou ver o sol nascendo no salar, HAHA. Mas enfim, em um certo ponto ele parou e estava lá: o Salar de Uyuni, com todo os desenhos de sal no chão, o infinito, o sol nascendo e nós. Mais ninguém.


Depois de toda espera e ansiedade, ganhamos de presente o infinito e esse nascer do sol maravilhoso ❤ a alegria que todo mundo ficou quando desceu do carro foi absurda, não tem como explicar, haha. Ficamos aí um bom tempo admirando o a vista, tirando fotos (essa última do salar + nascer do sol é minha queridinha da vida <3) e dando muitos pulos. São mais de 10 mil quilômetros quadrados de sal e o Salar é resultado da transformação de diversos lagos pré-históricos (que existiam cerca de 40 mil anos atrás)(!!!). A única coisa que posso dizer é: não parece real, mesmo estando ali, pisando, sentindo o vento frio... parece doido demais pra ser verdade. Esse dia foi um dos mais longos da viagem e já começou maravilhoso e surreal assim... Depois de admirar tudo isso, partimos pra nossa próxima parada, a Ilha dos Cactus gigantes. 


Reparem na segunda foto o tamanho do Cacto em relação ao Diogo -que tem 1,80 de altura!-, risos. Bom, pagamos alguns Pesos pra entrar, algo entre 30 ~50, não me lembro bem. É uma Isla, porque antigamente tudo isso era água. Hoje em dia só ficou o sal e essa fabulosidade louca ali no meio. Dizem que os cactos crescem 1cm por ano e o maior deles tinha cerca de 7m quando fomos, ou seja, LOL. Essa ilha é bem grande e com subidas, quando chegamos lá em cima tive novamente o probleminha com dedos inchados e dor de cabeça, ficamos um pouquinho fotografando e conversando com uma galera que conhecemos (incluindo uma fotógrafa de BH incrível, a Ju Kneipp) e depois fomos para onde nosso guia estava, tava chegando a hora do café da manhã (de novo, haha).


Uma coisinha: quando estávamos tomando café, apareceu um catiorro ali (no meio desse sal todo) e eu obviamente fui dar um pãozinho pra ele. Pois bem, o cachorro pegou o pão, levou até o meio do nada, jogou no sal e voltou onde estávamos (pra conseguir mais comida). Comecei a brincar com ele, até que decidi ir em direção ao pãozinho que ele jogou no sal (pra ver se ele ia comer, né?). Quando o cachorro me viu chegando perto, saiu correndo e latindo loucamente atrás de mim, que só consegui pensar que a morte estava chegando. Sai correndo em direção ao carro (com o saco de pão na mão), tirei mais um e dei pra ele. Moral da história: não brinquem com os pãezinhos dos cachorros bolivianos, HAHAHA. Depois disso ele voltou a ser meu amigo, ficou tudo bem 

/

O post de hoje acaba por aqui por motivos de: tá enorme já. Fica aí um spoiler de como será o próximo:



Espero que tenham gostado, prometo não demorar meses pra postar o próximo :) pra conferir todos os posts da viagem (desde o Atacama) só dar uma olhadinha na tag desertos.
BEIJOS!

© coffee & flowers POR KARINE BRITTO