do filme que não deu certo

24.7.17


Temos dois momentos memoráveis aqui nesse blog: o primeiro, quando finalmente comprei minha Pentax K1000 e fiz um post toda animada falando isso e sobre minhas expectativas para começar a queimar o rolo de filme que havia colocado nela;  o segundo, quando fiz o post cuidado com a burra listando uma sequência de acontecimentos nada agradáveis, e entre eles estava a quase-morte do filme que eu havia colocado na K1000 (risos). Com os negativos relevados, porém rasgados, eu pensei que nunca conseguiria ver essas fotos, até que uma pessoa se ofereceu para digitalizá-los pra mim e eu fiquei super animada. Animada até as fotos voltarem pra mim azuladas, em baixa resolução e em sua maioria, sem foco. 


Olhar o resultado da digitalização foi como ser jogada de um penhasco, especialmente depois de ter criado a expectativa de 'finalmente vou conseguir ver as fotos desse filme'. Ainda não sei porque as fotos ficaram azuladas, a pessoa me disse que era coisa da Pentax, mas achei meio sem sentido e não quis prolongar a conversa. Já a falta de foco se deve ao fato de eu usar óculos -um beijo para miopia & astigmatismo- e a K1000 não possuir nenhum ajuste no viewfinder (como as câmeras mais modernas possuem, até mesmo algumas analógicas). Como não tem como fotografar e usar óculos de grau ao mesmo tempo, o risco de não conseguir foco é muito grande. Pra resolver isso só começando a usar lentes de contato, ou seguir me arriscando até pegar o jeito de focar manualmente mesmo sendo meio ceguinha. Ou seja: em um lvl hard da coisa.


O fato é: depois de todos esses problemas e expectativas frustradas (ainda por pensar em todas as fotos que eu havia perdido: de brasília, recife, porto de galinhas, natal, praia com a família, além das fotos que fiz aqui eu são paulo) eu desanimei demais. Coloquei um filme novo na Rory só por colocar e nem fiz muita questão de olhar bem as fotos do filme 'problemático', que são essas desse post. Post que só existe por conta de uma conversa que tive com a Van, do blog Safelight-room, que além de fazer fotos maravilhosas, posta muito sobre fotografia -especialmente analógica- e entende mais desse mundo do que eu. Falei do problema que tive, mostrei as fotos e ela me animou dizendo que as fotos azuladas não eram por culpa minha (e sim da pessoa que digitalizou). Além de falar pra eu não me importar tanto por ter perdido um filme, que isso acontece mesmo, especialmente no começo. Depois da conversa e das dicas que ela me deu, resolvi jogar todas as fotos digitalizadas no LR e editá-las para deixar com o ajuste de branco mais certo, e aqui estão elas.


De 36 poses, as 10 fotos que coloquei aqui foram as que mais gostei, mesmo as que não estão com o foco cravado. Essa criança aí em cima correndo na água é meu sobrinho, a ideia era fazer uma foto mais 'minimalista' com ele brincando na praia durante o fim de tarde nublado, mas pegando o corpo inteiro. Coisa que não aconteceu porque ele correu mais rápido do que eu esperava pra conseguir fotometrar, focar, enquadrar e disparar a câmera, aí ficou faltando um pedacinho da cabeça (que fotografa horrível é essa que corta a cabeça das pessoas? HAHA). Acho que ela é a que eu mais gosto desse rolo, já que apesar de tudo me faz lembrar desse dia na praia com a família inteira, coisa rara de acontecer por aqui ♥


O próximo rolo de filme da Pentax fica pronto amanhã, lembro de algumas fotos que fiz da metade dele pra cá, mas não tenho ideia de quais foram as primeiras (porque demorei anos para terminá-lo). Só sei que no meio do caminho a bateria dela acabou e o fotômetro parou de funcionar sem eu perceber, ou seja... Tô aqui tentando deixar o pessimismo de lado e acreditar que dessa vez as fotos sairão melhores, pelo menos dessa vez não rasguei na hora de rebobiná-lo. Oremos.


Se tudo der certo teremos mais um post sobre fotografia analógica muito em breve por aqui. E vocês, fotografam com filme? Já sofreram com filmes que deram errado? 

BEIJOS
© coffee & flowers POR KARINE BRITTO